domingo, 21 de julho de 2013

AQUELE POST DA ANA KARLA! ( ou Da Arte de Ler e Escrever II )



Outro dia eu vi este post da Ana Karla - do blog MISTURAÇÃO - no meu feed. Fui ler! Nele, ela fala sobre quando não entendem o que ela escreve no FaceBook. E eu fiquei aqui pensando sobre o tema... Não necessariamente sobre o que acontece no FB, mas sobre o ato de ler e de escrever!

Lembrei de dois momentos. Do recorte de jornal que ainda tenho, no qual o Millôr conta sobre quando o Renato Russo escreveu um poema em Inglês e pediu pra ele traduzir pro Português. Ele mostrou a tradução e o Renato ficou murmurando, perplexo: "Deus do céu, eu escrevi isso?" (Meu recorte tem a data de 10/1996. Eu encontrei o texto completo na internet, sem data, aqui.)

Lembrei também das palavras do Mário Quintana: "A gente pensa uma coisa, acaba escrevendo outra e o leitor entende uma terceira coisa... e, enquanto se passa tudo isso, a coisa propriamente dita começa a desconfiar que não foi propriamente dita." (Fonte A Coisa / Caderno H)


A minha experiência pessoal me leva a crer que, às vezes,"some things get lost in translation" / algumas coisas se perdem na tradução, infelizmente. Outras vezes, ainda que na mesma Língua, a mensagem se perde no meio de comunicação, entre o ponto de chegada e o ponto de partida.

Eu já deixei de ser entendida - mas só encontrei leitor educado, sem ser chegado à grosseria, e agradeço a gentileza! Rsrsrs. Também já deixei de entender palavras alheias... Às vezes eu escuto algo numa letra de música e fico: "Não concordo com isto, não. Pra mim, não faz sentido!" Mas é a opinião do autor; não preciso concordar, mas procuro respeitar. E mais: em determinadas situações, eu fico achando que "perdi parte da história" que levou a pessoa a escrever aquilo, a se expressar daquela maneira... "A informação chegou incompleta!", fico pensando.


O bom de tudo isto é que ninguém vai parar de escrever, nem de ler, nem deixar de se comunicar! Como já disse o autor/novelista Lee Child (como contei aqui):  "A única coisa que se pode fazer é escrever de coração e esperar pelo melhor." 


E que o que for escrito de coração aberto, seja recebido como tal.
O que for feito (dito, escrito...) de coração, há de chegar ao coração!


Bjs pra todos.
Um ótimo domingo!


7 comentários:

  1. Oi Etienne, bom dia! Se a comunicação verbal não é fácil, imagina a escrita! Fica sim à mercê de quem a interpreta. Quanto ao amor, creio que tudo o que se faz com amor pode ser perdoado. Beijo e ótima semana!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia de domingo!!
    verdade mesmo, adoraria lero que o Renato Russo
    escreveu rssr gostei da postagem

    Um abraço com carinho
    Bjuss
    Rita!!!!

    ResponderExcluir
  3. Concordo, aqui em casa eu costumo dizer que sou prática e marido faz a parte de análise comparativa. Mas na real - o que eu falo não se lê o óbvio, eu falo nas entrelinhas e marido fala tudo em uma frase.
    Mas consigo me fazer entender no face, mas muitas vezes evito por saber que precisarei explicar muito até que todos entendam...rsrs

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Já pensei sobre isso! É que nem boato, sai de uma maneira e acaba de outra completamente diferente rsrsrs
    C'est la vie!
    E vamos que vamos ..........
    Boa semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Concordo com você, Etienne
    O que for feito (dito, escrito...) de coração, há de chegar ao coração!
    É isso aí
    Uma linda nova semana para você
    Beijinhos de
    Verena e Bichinhos

    ResponderExcluir
  6. Oi flor!

    Amei o post!

    Concordo totalmente quando diz que entre o que se escreve e o que se entende há muita coisa que pode se perder e talvez não fazer sentido.

    Tinha esse medo. Talvez porque certa vez, numa prova de redação, escrevi sobre preconceito e o professor não entendeu o que eu queria realmente dizer, além de nota baixa fiquei com trauma.

    Talvez isso tenha bloqueado minha escolha pra o vestibular. Queria ter feito jornalismo e terminei fazendo administração.

    Depois que vi uma entrevista da Danuza Leão falando da importância de registrar as coisas, decidi fazer o blogue.

    O que escrevo pode nem fazer sentido pra ninguém. Mas é um registro do que vivi ou do que sinto.

    Gostei demais do seu texto e de como abordou o assunto. Inclusive com as excelentes citações.

    Beijos

    Selma

    ResponderExcluir
  7. Etienne:
    Escrever, ler e interpretar são atitudes corajosas.
    Não é todo mundo que se dispõe a ler com vontade para entender o que o autor quis "dizer".
    E o facebook não é o melhor modelo para escrever e ler, né.
    As coisas por lá, são tecladas com uma velocidade que o pensamento não consegue acompanhar, rsrsrsrsr.
    Já aqui no blog, temos a vantagem de tentar nos fazer entender com mais espaço e tempo.
    Isso acaba sendo uma vantagem, além de estimular e instigar o leitor.
    Ter um blog acaba ajudando a desenvolver a escrita e apurar a interpretação de texto.
    Bjs.:
    Sil

    ResponderExcluir