segunda-feira, 29 de abril de 2013

COISA DE TV

Tem um comercial engraçadinho passando por aqui que diz assim: "Quando a oportunidade bate na porta e ele não está... a oportunidade espera por ele." Rá! Eu ri. We wish!

Televisão, vira e mexe, aparece com umas novidades.

Há tempos atrás, vi uma reportagem falando de um tal teste genético que pode identificar por quanto tempo a pessoa vai viver. “Você faria o teste?”, a apresentadora do jornal perguntou. Naquele momento, eu imaginei o seguinte:

"Se eu faria? Deixa eu ver...

Se eu fizesse o tal teste, eu teria uma conversa com o meu médico, tipo…

Escute, Doutor! Eu sei que o senhor tem o resultado do meu teste aí na sua mão, mas eu tenho uns assuntos pra conversar com o senhor, antes de receber qualquer informação. Umas coisinhas que eu gostaria que o senhor soubesse e levasse em consideração.

Em primeiro lugar, eu preciso ficar por aqui por mais uns anos, viu! Pra poder criar o meu filho, ver ele se tornar um rapaz educado, um homem de bem – o senhor entende. Ah! E pelo menos até que ele se case, pois sem-dúvida-nenhuma eu quero conhecer a maravilha de pessoa que Deus irá colocar no caminho dele. 

E eu gostaria de chegar a me tornar avó… Será que é pedir muito? Se o exame mostrar que eu posso, o senhor pode me contar que eu vou adorar. Imagina!  
Ha' também os lugares que eu gostaria de conhecer... o mundo e' tao grande, tanto pra se fazer!

Enfim, como o senhor pode perceber, de-jeito-nenhum que eu posso ir num futuro assim, próximo. No-No-No. Se for esse o caso, o senhor nem precisa me dizer nada.

Mas então, Doutor, qual é o resultado?


… assim!"
(Rá!Rá!)


3 comentários:

  1. Meu Senhorrrr, em hipótese alguma gostaria de saber o resultado, mas é bom pensarmos que tudo, que não dependa do tempo, como o crescimento dos filhos, não devem ser deixados para fazer depois. Boa reflexão. Abr.

    ResponderExcluir
  2. Quanta coisa um teste desses poderia ceifar...
    Sabe que usei de alguma forma esse conceito que você coloca com esta postagem, quando meu filho me indagou sobre as pessoas que "leem" o futuro. Perguntei-lhe se teria graça viver com tudo determinado, sabido. Ele respondeu que não. A surpresa, a maioria boa, poucas ruins, tecem o nosso viver.

    Adorei ler sobre teus momentos com o teu pequeno e vou tentar participar da BC! Bj

    ResponderExcluir
  3. Hmmm... não sei tb se ia querer saber!
    Bem, geneticamente falando, tenho avós com mais de 90 anos... mas ao mesmo tempo, eles não comiam tanta porcariada como eu como hj... hahaha!
    Difícil pensar nisso, mesmo sabendo que será inevitável.
    Bjs

    ResponderExcluir